guns1

E lá fomos nós para o show do Guns’n Roses.  Depois de 1 hora no congestionamento e rodando atrás de estacionamento, chegamos às 21h na entrada do Ginásio Nilson Nelson.

As cadeiras não eram numeradas e tivemos que sair a caça de bons lugares. Achei um par de cadeiras bem no alto, de frente para o palco e bem centralizado. Sorte!

O show estava marcado para as 21h mas foi começar as 22h05 (só 1 hora e cinco minutos de atraso) Muito bem Alx!

Não sou muito de ir a shows. Eu tenho que gostar muito da banda ou do cantor(a) que estará no palco para me dispor a gastar uma grana alta no ingresso, na bebida que é vendida lá dentro, na dor de cabeça com trânsito, estacionamento e etc.

Notei que só haviam PM’s (poucos) do lado de fora do estádio e o pessoal da segurança (GRIFFO) faziam a corrente em frente ao palco e cuidavam dos portões de entrada apenas. – O bom de ir em show dos veiacos é que você  não vê aquele bando de adolescentre bebâdo, drogado, brigando por qualquer besteira.

Axl entrou com uma música nova e emendou a “Welcome to the Jungle” que fez toda a galera delirar… assim como eu que gritava e pulava de alegria por vê-lo ali tão diferente mas com a mesma pegada que me fez apaixonar pelo seu jeito anos atrás.

O show foi repleto de efeitos especiais com inúmeros painéis de LED, lança chamas, fogos e algumas explosões que arrepiavam (devido a péssima acústica do Ginásio).

Depois de 1 hora de show, no intervalo de cada canção, começaram os duelos dos guitarristas, sempre muito aplaudidos… dedos perfeitamente sincronizados com as cordas da guitarra. (Saudade do Slash sim, mas o Axl está muito bem amparado).

Antes da tão esperada “November Rain” um solo da introdução de “Baby, I’m gonna leave you” do Led Zeppelin. – Aplausos, gritos, flashes e milhares de celulares fizeram dueto com o pianista mais underground que já vi em “November Rain” e depois com a calma “Don’t Cry” e a belíssima “Knockin’ on heaven’s door”. (Alx arrepiou o público durante as nuances vocálicas maravilhosas e ao querer ouvir algumas vezes o público cantar o refrão “Knock-knock-knockin’ on heaven’s door…”

Minha maior angústia durante o show foram 6 fumantes descompensados que estavam ao meu lado. O pessoal lotou a escadaria… e eu fiquei bem ao lado da galera que fumava maconha e outros tipos de cigarro, faziam escândalos desnecessários para o cara da cerveja e não estavam nem aí para os demais que estavam nas cadeiras.

Sweet child O’mine” foi a preferida do publico, sem dúvida! O Ginásio tremia de alegria.

Pausa pro povo pedir o BIS. Daí entra Axl assoviando  “Patience” de maneira linda e arrepiante.  Foi ali que eu agradeci, em pensamento, meu irmão mais velho que me apresentou Gun’s há uns 18 anos.

E para fechar a noite, a de sempre: “Paradise city”,  as 00:55.

Daí que li várias críticas na internet metendo a boca no coitado do Axl. Chamando o cara de enferrujado, senil, desafinado, despreparado e tal.
Poxa… o cara tem 52 anos minha gente!!! Canta a mais de 32 anos, sendo 29 de sucesso.
O que vocês querem?
O corpo envelhece…. e de todo mundo!

 axel

Axl está com menos fôlego. Cansa mais rápido. A voz está mais grossa e com menos alcance. Ele corre menos do que na década de 90, mas continua ligado no 220V. Foi isso que vi ontem! Correndo pra la e pra cá, gritando, subindo escada, pulando das caixas.  A mesma dancinha… as batidas do pé no chão rapidamente…. a mão pairando no ar… o mesmo jeito de se inclinar com o microfone.
O cara faz um show de quase 3 horas e eu tenho que ouvir gente dizer que “o cara não aguenta mais!”  ????

Eu conheci Gun’s com 10 anos, hoje tenho 28. Meu pique tbm não é mais o mesmo. Axl fez o serviço bem feito, perfeito. E Guns’n Roses foi ovacionado pelo público que estava no show de ontem!

Tem gente que vem dizer que “não lotou”, o “show do FULANO deu muito mais gente”….. E daí???
Se qualidade musical for medida por numero de ingressos vendidos em shows…. vamos ter que dizer que Justin Bieber e Gustavo Lima são bons!!!!!!! :O

Anúncios