“Quando eu chego em casa nada me consola; Você está sempre aflita. Lágrimas nos olhos, de cortar cebola, Você é tão bonita. Você traz a coca-cola eu tomo, Você bota a mesa, eu como, eu como.
Eu como, eu como, eu como… Você não está entendendo quase nada do que eu digo. Eu quero ir-me embora, eu quero é dar o fora!
E quero que você venha comigo. E quero que você venha comigo.
Eu me sento, eu fumo, eu como, eu não aguento. Você está tão curtida. Eu quero tocar fogo neste apartamento, você não acredita. Traz meu café com suita eu tomo, bota a sobremesa eu como, eu como. Eu como, eu como, eu como. Você tem que saber que eu quero correr mundo, correr perigo.
Eu quero é ir-me embora, eu quero dar o fora!
E quero que você venha comigo, todo dia, todo dia!
E quero que você venha comigo! E quero que você venha comigo! E quero que você venha comigo!”

Ele: Se eu fosse embora, você correria atrás de mim?
Ela: Não.
Ele: E por que não? Acho que, sei lá, quem ama corre atrás.
Ela: Quem ama não vai embora, antes de tudo.

Anúncios